TEMPO PERDIDO OU TEMPO GANHO?

ano-de-2016De todos os recursos a que temos acesso, o tempo é um dos mais preciosos e de natureza volátil, não renovável. O tempo é por natureza democraticamente correto, pois todos (ricos, pobres, jovens ou idosos, crentes e descrentes . . .) temos 24 horas disponíveis por dia, 365 dias no ano. Porém a diferença está na percepção desta grande oportunidade que temos e de como nossas escolhas podem afetar positiva ou negativamente a utilidade que temos de nosso tempo.

Mais um ano está com os dias contados. Dezembro já encerra as portas de 2016. Muita coisa vivida, muitos dias de glória e com certeza para muitos, de desapontamentos. Muitos fatos, muitas situações, confusões, decisões e estratégias certas e erradas. Tivemos de tudo, todos sabemos, sem citar nada.

Mas a pergunta que vale quando encerramos um ciclo: No balanço do ano, nosso tempo foi perdido ou foi tempo ganho?

Os pessimistas dirão “perdido”, afinal sempre enxergam a parte do “copo meio vazio”. Ao contrário, haverá um grupo e talvez o maior, que apesar dos pesares, considere como sempre, a outra parte do copo, “o meio cheio”. E você, em qual dos grupos está? Perdeu ou ganhou em 2016?  O que 2016 tirou e acrescentou em sua vida?

Todos conhecem suas próprias perdas e quanto elas doem. A maioria tem consciência de quando deixou de fazer coisas importantes. E uma parte destes sabe que, às vezes, as coisas não aconteceram porque faltou boa vontade e dedicação.

Tempo perdido é o tempo que desperdiçamos com coisas totalmente inúteis. Tempo ganho é o tempo que nos proporcionou algo, principalmente se tiver sido algum aprendizado. Tempo perdido é o tempo computado pela nossa inércia e conformismo. Tempo ganho foi aquele em que, mesmo na dificuldade, não deixamos de lutar.

No balanço de final de ano, é importante passar pela peneira todas as nossas vivências. E assim como nos livramos da sujeira de algum produto que passa pela peneira, que saibamos jogar fora o que não prestou e guardar com zelo tudo aquilo que ficou e pode ser útil no novo ano. Para ajudar nesta reflexão, seguem algumas situações:

  • Você leu algo interessante que ainda lembre? Então guarde…
  • Conheceu pessoas novas e diferentes que valeram a pena?
  • Absorveu conhecimento da sua prática diária?
  • Que experiência adquiriu errando e acertando em suas relações pessoais e profissionais?
  • Promoveu o bem para alguém?
  • Dedicou-se a ajudar a quem precisava?
  • Livrou-se de alguma mania descabida?
  • Gastou mais ou gastou menos?
  • Aprendeu fazer as coisas de um jeito novo e brilhante?
  • Você criou e desenvolveu novos produtos e jeitos de fazer as coisas?
  • Iniciou um novo projeto?
  • Conseguiu equilibrar as suas contas? Está saindo do ano de 2016 com a vida financeira resolvida?
  • Amou, ouviu e abraçou muito as pessoas próximas de você?
  • Partilhou conhecimento com colegas de trabalho?
  • Sensibilizou-se com pessoas próximas com dificuldades ou com o sofrimento de desconhecidas?
  • Conseguiu ficar mais calmo(a) diante de situações difíceis?
  • Brigou com seus filhos, amigos, colegas e outros – por futilidades?
  • Falou com educação com as pessoas ao seu redor?
  • Respeitou as pessoas – indiferente de sexo, raça, cor ou religião?
  • Conheceu lugares novos?
  • Saboreou cada momento como se fosse o último?
  • Desenvolveu seu lado espiritual para encontrar o equilíbrio da vida?
  • Brincou quando era hora de brincar? Deixou que outros se divertissem?
  • Cuidou da saúde para poder seguir em frente com mais energia?
  • Desfrutou das amizades e encontros energizando-se para novos desafios?
  • Fizeste as devidas homenagens e reconhecimentos aos seus entes queridos, sua equipe de trabalho, seus colegas e até mesmo do seu chefe?
  • Lembrou de dar a atenção e tempo de qualidade aos seus filhos queridos, conjugês e pessoas idosas?
  • Serviu com gestos de carinho e ternura?
  • Conseguiu tornar-se menos agressivo(a) e exercitou a amorosidade entre os seus mais próximos?
  • Já perdoou aquela ofensa ou ainda guarda aquele rancor que corrói sua alma?
  • Parou com aquele vício que vinha lhe desgastando?
  • Já somou suas perdas e ganhos de 2016?
  • Já sabes o que pretendes para o novo ano?

Parece que a maioria de nós terá uma nova chance. O ano de 2017 já se mostra como uma nova possibilidade. A vida é assim, às vezes permite recomeçar. Outras vezes, como vimos há poucos dias com a equipe da chapecoense, não haverá “outra vez”.

Minha torcida é para que tornemos o nosso mundo melhor, começando por cada um de nós. Que este final de ano seja uma oportunidade de reflexão e embora pareça um clichê, que possamos fazer planos e metas para um ano mais saudável, equilibrado, amoroso, cheio de saúde e de paz. E isso depende de mim e de você! Vamos reproduzir tudo o que é bom e deletar nossas falhas. Abramos as bordas do coração para não deixar ninguém e nada a margem. Removamos todo tipo de vírus que possa atrapalhar nosso 2017.  E guardemos com apreço tudo o que vivenciamos positivamente até aqui. Tempo perdido ou tempo ganho? Se a vida nos dá nova chance, façamos dela a cereja do bolo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s